Carta Da Filha De Um Policial Militar Para Os Governadores Dos Estados do Brasil.

* Esther Soare
Senhor governador, venho através deste texto com todo respeito expressar o que eu sinto neste exato momento por ser filha de um policial militar, na realidade nem sei se estou sentindo MEDO ou ainda o mesmo ORGULHO de dizer que o meu pai é policial, mais acho que agora o sentimento maior infelizmente é o MEDO. Medo de que por isso me olhem com maus olhos, com maldade, ou até mesmo tentarem fazer algum mau a mim, meu irmão ou minha mãe, apenas para poder prejudicar o meu pai, para mim um super herói que só está fazendo o seu trabalho, cumprindo seu dever, mas reconheço que ele não tem super poderes e a qualquer momento pode ser morto por um MARGINAL, BANDIDO (que provavelmente será protegido pelos direitos humanos, e pela lei do nosso país que infelizmente ajuda esses marginais).

Não sei se quando o senhor era criança, tinha alguém na sua família que fosse PM, se por acaso teve deve imaginar a angustia que eu e minha família sentimos ao ver meu pai botando sua farda e saindo para trabalhar, acredite se quiser que apesar de todo esse número de policiais que foram mortos ele ainda sai orgulhoso de casa por estar indo cumprir seu dever em prol da sociedade. Até mesmo na escola tem filhos de marginais que me olham torto por que sabem que sou filha de PM, isso não é nem um pouco seguro e muito menos legal, até porque quem sabe façam o mesmo com meu irmão que tem apenas 8 anos (eu tenho 12).

Senhor governador do estado, peço ao senhor que pense bem antes de ir na televisão falar que são casos isolados e que o estado tem controle sobre isso, pode até ser que o senhor fale para acalmar a população que clama por ajuda, por justiça, mas eu, o senhor e todos nós sabemos que isso não é verdade, NÃO são casos isolados os policiais estão sendo executados SIM, infelizmente SIM, e o estado pode até ter o controle da situação mas primeiramente tem que QUERER ter o CONTROLE.
Soube agora que o Supremo Tribunal Federal (STF), teve a brilhante idéia de tirar 15% do salário dos policiais em meio à onda de insegurança em que estão vivendo, tudo bem que a MINHA opinião não vai mudar nada, mas daqui em diante a carta vai ser mais um desabafo.

O senhor tem noção do que é, ver meu pai saindo para trabalhar e deixar todos em casa com o coração na mão, dizer que nos ama muito e ouvir ele falar EU VOU VOLTAR AMANHÃ DE MANHÃ, QUALQUER COISA ME LIGUEM, mas ele fala apenas para nos acalmar, porque ninguém sabe se realmente vai voltar, mais um policial muito menos.

Meu pai sente um orgulho sem tamanho do que faz e nós da família sentimos um orgulho sem tamanho de ver o que ele faz, sem esquecer que faz com ORGULHO, AMOR.
Um dia ele disse para mim que faria o que tivesse ao alcance dele para me ajudar a realizar o meu sonho que é ser Juíza De Direito, mas ele me falou também o seguinte: Minha filha o pai vai sempre estar contigo e te ajudar.

Quem tem uma vida familiar como eu tenho (estar sempre junto da família) sabe o valor que tem essas palavras, aqui enquanto escrevo essa carta, estou com lágrimas nos olhos só de pensar na hipótese que o meu pai se vá enquanto cumpre o seu dever, enquanto protege a família de outros cidadão tendo que deixar a sua em casa.

Obs: Essa é apenas a opinião e o desabafo de uma filha que não agüenta mais ver irmãos de farda de seu pai sendo mortos, e se perguntando SERÁ QUE COM O MEU PAI VAI SER ASSIM.

Texto escrito por Esther Soares, filha de um policial militar.
 
Blog Informar e Propagar/Nossa Pau dos Ferros

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEGUIDORES